Design de Moda e Educação Não-Formal: Os Fósseis de Árvores Petrificadas como Referência para Processos Criativos

Fashion Design and Non-Formal Education: Petrified Tree Fossils as a Reference for Creative Processes

Debus, C.

Uniderp - Universidade Anhanguera

Retirado de: http://convergencias.esart.ipcb.pt

RESUMO: Este estudo foi desenvolvido na Linha de Pesquisa em Educação e Artes do Programa de Pós-Graduação em Educação, do Centro de Educação, da Universidade Federal de Santa Maria /RS. A presente pesquisa buscou investigar a prática educativa não-formal através do patrimônio histórico regional, situado no sítio paleontológico Chácara das Flores em Santa Maria (RS), tendo como referência os fósseis de árvores petrificadas no desenvolvimento de processos criativos, buscando-se um espaço alternativo onde educação e design de moda interajam e contribuam socialmente na preservação e valorização do patrimônio histórico e prático educativo em design. No referencial teórico pesquisado buscaram-se pressupostos referentes à educação não-formal, Freire (1981, 1983, 1992, 1993, 1996), Gadotti (1991, 1997, 2000, 2001), Gohn (1999, 2004) destacando-se os espaços de atuação, inclusão social e geração de renda. Também os fósseis de árvores petrificadas, Malfatti e Agostini (2006), Sommer e Scherer (1999), leis de proteção ambiental e possíveis contribuições sociais, científicas e culturais. Do mesmo modo, o design com base teórica em Munari (1987, 1990), Redig (1983), Löbach (2001), Lipovetsky (2006), subsidiada nos conceitos, linguagens visuais, aplicações e processos criativos. A metodologia de pesquisa utilizada foi a abordagem qualitativa, através de um estudo de caso, onde se buscou a participação das colaboradoras da pesquisa, mulheres moradoras do Bairro Chácara das Flores, localizado em Santa Maria (RS), num processo investigativo envolvendo instrumentos pertinentes a compreensão e descrição do contexto em que vivem, assim como a organização coletiva do saber/fazer do design de moda, gerando um compromisso das mesmas com possíveis mudanças numa ação compartilhada e cooperativa, como também visando os processos criativos produzidos. Os instrumentos de coleta de dados utilizados foram a análise documental, entrevista semi-estruturada, entrevista sócio-antropológica, observação participante, diário de campo e portfólio. Por meio de análises qualitativas interpretativas pretendeu-se que estes saberes além de beneficiarem a sociedade através dos conhecimentos construídos retornassem à mesma em forma de novas possibilidades na geração de renda, conscientização e preservação patrimonial, refletindo num novo olhar no design de moda construído pelas colaboradoras da pesquisa na constituição de suas identidades culturais.

 

PALAVRAS-CHAVE: Prática Educativa Não-Formal; Design de Moda; Fósseis de Árvores Petrificadas.

 

ABSTRACT: This research was developed through the Research Line in Education and Arts of the Education Post-Graduation Program, in the Education Center at the Federal University of Santa Maria/RS/Brazil. This research investigated the non-formal education practice through the regional historical patrimony. This patrimony was located into a paleontological area called Chácara das Flores, in Santa Maria/RS, and the research used as basis the petrified tree fossils in the development of creative processes. These creative processes intended to create an alternative space where education and fashion design interacted and socially contributed to preservation and valorization of historical and practical-educative patrimony in design. The review of theoretical ideas was based on non-formal education theories (Freire 1981, 1983, 1992, 1993, 1996; Gadotti 1991, 1997, 2000, 2001; Gohn 1999, 2004), emphasizing the social inclusion, income generation and performance places. It also used the theories of Malfatti and Agostini (2006), Sommer and Scherer (1999), that are related to petrified tree fossils, Environmental Protection Laws and possible cultural, scientific and social contributions. In the same way, this research was based on the ideas of the following authors: Munari (1987, 1990), Redig (1983), Löbach (2001), Lipovetsky (2006) – the concepts, visual languages, creative processes and applications. The research methodology was organized from qualitative approach and outlined through a case study with the collaborators of the research, women that live at Chácara das Flores District, in Santa Maria/RS/BRAZIL. This investigative process involved the comprehension and description of the context where they live, as well as the collective arrangement of the knowledge-making of fashion design, creating their engagement with possible changes in a shared and cooperative action. The instrumental used to collect data was composed by documental analysis, semi-structured interviews, social-anthropological interviews, real observations, diary notes and portfolio. Through these qualitative-interpretative analysis it was intended to show that these acquirements can improve the society with the return of new possibilities of income generation, consciousness and patrimony preservation, reflecting the new view of fashion design built by the research collaborators in the constitution of their cultural identities.

 

KEYWORDS: Non-formal Educative Practice, Fashion Design, Petrified Tree Fossils.

1. O Surgimento dos Retalhos

Entre retalhos, uma busca na construção de um conto...
A presente pesquisa se justificou propondo uma prática educativa não-formal no sítio paleontológico de madeira petrificada, localizado no Bairro Chácara das Flores na cidade de Santa Maria (RS), visando realizar uma pesquisa de design de moda e educação, tendo como referência um dos mais importantes registros de fósseis de árvores petrificadas existentes na região central do Estado. Assim, utilizando um espaço alternativo propõe-se uma educação que tem como fundamento contribuir socialmente na preservação e valorização do patrimônio histórico a partir da pesquisa histórica, cultural, educacional da cidade através de um caráter prático educativo em design.
Espera-se que esta pesquisa seja a favor da sociedade e que possa, principalmente, contribuir à comunidade como forma de conhecimento, de conscientização, de preservação patrimonial e de geração de renda, onde seu resultado reflita num novo olhar das pessoas sobre a importância do seu meio na construção da identidade cultural e suas possibilidades na criação em design de moda voltada para a formação humana profissional das participantes da pesquisa.
A investigação no ensino não-formal representa uma perspectiva educacional, onde temos maior acessibilidade, integridade, igualdade e, principalmente, oportunidade de incluir uma faixa populacional desfavorecida ou distante dos meios convencionais de ensino. Presenciamos dificuldades relacionadas à formação educacional contemporânea, trazendo problemas que refletem em questões humanitárias e barreiras culturais, fatores estes não apenas individuais, mas resultantes dessa carência e dificuldade no desenvolvimento da comunidade. A educação, segundo Freire (1981), que inclui ao mesmo tempo a consciência e o mundo, a palavra e o poder, o conhecimento e a política, a teoria e a prática, deixando clara a definição de educação não-formal como um problema não individual, mas coletivo que deve ser pensado e inventado através do conhecimento, leitura e prática.
A procura por vínculos de ajuda e cooperação para a prática da educação não-formal é importante a partir do momento em que os problemas são encarados de forma coletiva e participativa, através de projetos e pesquisas que oportunizem a essas pessoas um caminho educativo, fazendo surgir conhecimentos e principalmente formando propostas para uma verdadeira cidadania. Esta pesquisa propôs a construção de novos olhares sobre o patrimônio histórico regional, recriando uma visão sobre a madeira petrificada e incluindo novos personagens à história e ao estudo das questões relacionadas ao patrimônio histórico existente na cidade de Santa Maria (RS) e sua comunidade.

 

2.  Alinhavando Retalhos na Construção de Saberes

Neste momento, foram abordadas as seguintes temáticas que compõem o referencial teórico: Prática educativa não-formal, trazendo algumas características que completam as intenções fixadas neste contexto, entrelaçando uma metodologia de acordo com os espaços de atuação, Freire (1981, 1983, 1992, 1993, 1996), Gadotti (1991, 1997, 2000, 2001), Gohn (1999, 2004)
. Os fósseis de árvores petrificadas, apresentando elementos quanto seu processo de fossilização, locais de afloramento, tipos de vegetais preservados, Malfatti e Agostini (2006), Sommer e Scherer (1999), Beltrão (1965)
. E o Design, pontuando questões gerais, como também algumas divisões no que diz respeito à linguagem visual, o processo criativo e o design de moda, Munari (1987, 1990), Redig (1983), Löbach (2001), Lipovetsky (2006), Moutinho e Valença (2000).
Prática educativa não-formal: Nesta proposta a prática educativa não-formal permeou todos os momentos da construção dos processos criativos realizados no bairro Chácara das Flores, em Santa Maria/ RS. Permitindo um aprofundamento nas formas metodológicas e sua importante contribuição nas reflexões em torno da temática abordada, visando para as participantes da pesquisa, possíveis formas de geração de renda e a oportunidade de inclusão social.
Os fósseis de árvores petrificadas: Nesta pesquisa o patrimônio histórico regional foi objeto de estudo em uma proposta de educação não-formal na modalidade do design de moda. Os fósseis encontrados no sítio paleontológico localizado no bairro Chácara das Flores, serviram como referência nos estudos de alguns aspectos relevantes, como sua idade de aproximadamente 200 milhões de anos, seu processo de fossilização, tipos de vegetais conservados, algumas leis que os protegem, assim como subsídio na construção dos processos criativos.
Design: Nesta proposta de prática educativa não-formal foram empregadas distintas linguagens do design na construção de processos criativos inspirados nos fósseis de árvores petrificadas. Através desta habilidade criativa passamos a elevar a compreensão de nossos cotidianos, fazendo com que projeto adquira um âmbito social, refletindo na sociedade a importância da valorização do patrimônio histórico na composição de roupas e acessórios visando a geração de renda.

 

3.  Costurando os Caminhos Percorridos

A temática abordada centrou-se em uma investigação no ensino não-formal, buscando referências para processos criativos em design de moda no sítio paleontológico de madeira petrificada localizado no bairro Chácara das Flores, em Santa Maria/ RS. Deste modo, a temática apresenta a seguinte configuração: Design de moda e educação não-formal: os fósseis de árvores petrificadas como referência para processos criativos.
O principal objetivo desta pesquisa foi investigar uma prática educativa não-formal na modalidade do design de moda, através da valorização do patrimônio histórico regional, tendo como referência os fósseis de árvores petrificadas no desenvolvimento de processos criativos.
Assim sendo, outros objetivos específicos foram buscados:
Identificar possíveis contribuições que o patrimônio histórico possa trazer para a prática educativa não-formal na modalidade do design de moda;
Buscar referências formais/visuais na madeira petrificada construindo processos criativos através de projetos de design de moda para a aprendizagem na possibilidade da geração de renda; Refletir quais são as implicações de uma prática educativa não-formal em design de moda que utiliza como subsídio as referências visuais do patrimônio histórico como conhecimento educacional.
Também foram definidas algumas questões de pesquisa: Quais possibilidades em realizar uma prática educativa não-formal na área do design de moda tendo como foco principal o patrimônio histórico regional no Bairro Chácara das Flores na cidade de Santa Maria (RS)?
Como buscar referências visuais na madeira petrificada construindo processos criativos através de projetos de design de moda para a aprendizagem na possibilidade da geração de renda?
Quais as implicações para a prática educativa não-formal num processo criativo em design de moda subsidiado pelas referências visuais do patrimônio histórico presente na cidade de Santa Maria (RS)?
Deste modo, esta pesquisa caracterizou-se como uma abordagem qualitativa, onde se tornou necessário destacar a significativa busca pela compreensão dos comportamentos das pessoas envolvidas na investigação, suas ações recíprocas e os significados dos indivíduos em constante interação. Através de um estudo de caso é possível buscar o conhecimento particular de um caso em específico, focalizando assim, a realidade em questão de forma complexa e contextualizada.
Na coleta de dados foram utilizados instrumentos que possibilitaram à realização de uma investigação qualitativa sendo realizada através de um estudo de caso, envolvendo instrumentos pertinentes a compreensão e descrição de um contexto específico. Os instrumentos utilizados foram os seguintes: análise documental, entrevista semi-estrutura, entrevista sócio-antropológica, observação participante, diário de campo e portfólio.
Na Análise Documental desta pesquisa, foram utilizados na coleta de informações alguns documentos como, por exemplo, matérias publicadas em jornais, artigos disponíveis nos meios eletrônicos, arquivos históricos, folders e panfletos coletados em museus da região, na intenção de verificar a história deste patrimônio, seu percurso, locais onde podem ser encontrados, pesquisados, pontos turísticos, descobertas científicas e outras informações relevantes na contribuição da pesquisa. Também foram pesquisadas nove leis de proteção e preservação do patrimônio histórico, nacionais e estaduais que protegem os fósseis, fiscalizam, conservam e se responsabilizam na defesa deste patrimônio natural. Do mesmo modo foram utilizados como documentos de pesquisa fotografias como imagens de registro produzidas pela pesquisadora, contendo fotos captadas nos locais onde estão depositados os fósseis, em pontos turísticos, construções e exposições na extensão da cidade, bem como a produção das colaboradoras na pesquisa e o processo criativo em design de moda realizado através da prática educativa não-formal.
A entrevista semi-estruturada, utilizada como instrumento de coleta de dados objetivou a obtenção de informações sobre as três temáticas: educação não-formal, os fósseis de árvores petrificadas e o design de moda, por meio de uma conversação aberta e de caráter profissional. Desse modo, a entrevista semi-estruturada foi realizada com as mulheres colaboradoras da pesquisa, sendo gravadas com o auxílio de um gravador digital e posteriormente transcritas, sendo depois devolvida as entrevistadas para supostas alterações.
Outro tipo de entrevista utilizada foi a entrevista sócio-antropológica, utilizada junto com a entrevista semi-estruturada, na intenção de aprofundar os conhecimentos a respeito da identidade das colaboradoras da pesquisa, pois através deste meio de conversação foi possível averiguar como vivem, com quem moram, de onde vieram, quanto tempo estudaram, que cursos já fizeram, sua profissão, como aprenderam seus ofícios relacionados a moda, enfim uma série de informações condescendentes em relação as temáticas dessa investigação.
A observação participante, como mais um instrumento e um dos mais coerentes com a abordagem e método de pesquisa, caracterizou-se por ser uma observação direta, onde os comportamentos das pessoas a serem analisadas não são predeterminados, são apenas observados e relatados da forma como ocorre. Um ponto de grande importância neste tipo de observação refere-se a possibilidade de captar uma vasta gama de situações ou fenômenos que não são obtidos através de perguntas ou outros métodos de coleta de dados, pois a observadora estando imersa na própria realidade observada teve a possibilidade de verificar e compartilhar certas peculiares que constituem o cotidiano pesquisado.
Assim, o diário de campo da pesquisadora foi o maior registro como documento, onde foram armazenados todos os períodos investigatórios respectivos ao desenvolvimento da pesquisa, resgatando e constituindo a memória e a história.  A realização do diário foi fundamental para a obtenção de apontamentos das análises que posteriormente foram utilizadas como dados complementares na metodologia de investigação. O seu uso foi estendido do primeiro ao último dia de investigação, abrangendo um resumo de ocorrências diárias, falas, discussões, questionamentos a serem aprofundados, observações, enfim, em seu conteúdo foram registradas idéias pessoais, desenvolvimentos, assim como processos vividos e pensados.
O uso do Portfólio nesta pesquisa foi essencial, por isso optou-se por este instrumento que ao longo do período investigativo, juntamente com a pesquisadora as colaboradoras da pesquisa construíram individualmente seu portfólio, contendo suas amostras de trabalhos, anotações, arquivaram imagens, processos criativos, projetos de propostas em design de moda e reflexões a respeito dos temas trabalhados.
O contexto em que ocorreu a pesquisa foi na cidade de Santa Maria/ RS, respectivamente no sítio paleontológico de madeira petrificada localizado no Bairro Chácara das Flores. O local destinado à pesquisa deveria possuir alguns requisitos, como ter proximidade ao sítio em questão e ser de fácil acesso às colaboradas da pesquisa. Portanto, depois de uma análise sobre possíveis locais para a realização do trabalho optou-se pela Escola Municipal Chácara das Flores, sendo esta muito próxima a alguns espaços de remanescentes a este sítio paleontológico. 
O primeiro contato com o Bairro Chácara das Flores e posteriormente com a Escola Municipal Chácara das Flores, já citados acima, ocorreu no dia 26 de setembro de 2007, onde aconteceu à primeira reunião com a diretora, Profª. Suzana Cartier Laranjeira, e o vice-diretor da escola, Prof. Cláudio Pereira de Oliveira, nesta oportunidade foi possível esclarecer os objetivos da pesquisa, assim como suas finalidades e propostas. Neste momento houve interesse por parte da escola em desenvolver este trabalho, que acabou disponibilizando todo o apoio necessário para a concretização da investigação, cedendo um espaço para a realização da mesma, propondo-se ainda a distribuir aos alunos um convite direcionado as mães, convidando-as a se inscreverem no “Curso de Criação de Moda”. Este critério utilizado se deu através de um acordo com a direção da escola aproximando o termo “curso” à realidade em questão, pois a palavra pesquisa ou mesmo investigação poderia neste primeiro contato com as mães afastá-las dos devidos propósitos, que seria comparecer numa primeira reunião.
No dia 10 de outubro de 2007 aconteceu o primeiro contato com as mães de alguns dos alunos, neste momento foi possível apresentar as propostas do “Curso de Criação de Moda”, e ao mesmo tempo entender dentro de seus contextos qual a familiaridade com a temática trabalhada: os fósseis de árvores petrificadas. A conversa apoiou-se sobre algumas questões referentes a moda, seus afazeres manuais e seus conhecimentos sobre a madeira petrificada.
Após esta primeira conversa com as mulheres foi colocado que a proposta seria o desenvolvimento de processos criativos inspirados na madeira petrificada, visando a criação de uma coleção de roupas, onde através do estudo dos elementos provenientes da análise dos fósseis conceberiam-se estampas que compusessem esses modelos, e por fim dar-se-ia origem a confecção de algumas peças partindo da utilização de retalhos, os chamados lixos das fábricas, para enfim realizarmos um desfile na intenção de divulgar a comunidade seus trabalhos assim como a importância da temática nesta construção.
Resultante deste primeiro contato foi a confirmação da participação de três (3) colaboradoras, sendo estas mães de alunos que estudam nesta escola, moradoras locais, com idades de 29 e 35 anos.
Os encontros aconteceram no período de 17 de outubro a 18 de dezembro de 2007, no turno da tarde, perfazendo um total de 80 horas, distribuídos em 15 encontros, sendo que estes ocorreram em salas de aula e sala de artes, todos locais disponibilizados pela escola.
Para a realização dos encontros foi efetivado um planejamento para cada momento que incidiu a pesquisa, é importante esclarecer que este planejamento ocorreu de forma progressiva, baseada no desenvolvimento dos temas propostos a cada encontro, levando em consideração o tempo e o ritmo de trabalho de cada colaboradora.

 

4.  Pespontando novos Saberes

4.1.  Apresentação, descrição e análise dos dados coletados nos encontros.

Neste tópico foram abordadas as análises dos 15 encontros realizados com as três colaboradoras desta pesquisa através de um detalhamento nos instrumentos de coleta de dados desta pesquisa.
Através desses encontros surgiram novos olhares entrelaçados a esse novo contexto, concretizando momentos onde revemos velhos preceitos e reabrimos possibilidades muitas vezes esquecidas dentro de nosso meio social. Discutir e problematizar estas questões intrincadas e por muitas vezes escondidas nas periferias dos objetivos principais, nos levam a entender e perceber uma questão mais geral, vendo que não são só simples pessoas envolvidas neste processo, mas personagens que contam uma história vivida e já contada por muitos outros. Partindo destas realidades e histórias, podemos enxergar e ter reflexões onde personagens se tornam protagonistas trazendo ao nosso alcance conhecimentos resgatados de um cotidiano que vem a contribuir em aspectos referentes a consolidação neste processo investigativo.
Portanto, percebemos a grande importância empregada nesta ação, onde temos a inserção de um pesquisador/educador num novo universo com valores e dimensões talvez não tão comuns, mas de extrema relevância no que diz respeito à tentativa de compreender o outro e sua cultura, valorizando e respeitando suas formas de ser e ver. Gadotti (1997, p. 248) ressalta a importância deste tipo de abordagem primando pela compreensão na sociedade em que estas pessoas estão inseridas, assim como em suas transformações, pois dessa forma passam “a ser um membro atuante na sociedade, no sentido de favorecer sua transformação ou, ao contrário, a ela se opor”. A educação não-formal enquanto aprendizagem praticada durante a trajetória de vida das pessoas passa a ser compreendida como uma educação para a vida, estimulando a reflexão sobre o papel que desempenham na sociedade.
O 1º encontro, que ocorreu dia 17 de outubro de 2007, trouxe a temática introdução ao projeto e reconhecimento da madeira petrificada, materializando a prática educativa não-formal. Este primeiro encontro buscou destacar um novo olhar sobre a madeira petrificada inserida na vivência das participantes, gerando neste momento inicial um possível direcionamento no que diz respeito aos processos criativos que subsidiariam suas criações. O objetivo principal foi realizar uma reflexão sobre a importância do tema, sendo também pontuado o desenvolvimento de peças e acessórios com possível geração de renda.
O encontro aconteceu centrado em um momento geral, através de uma discussão coletiva sobre aspectos do tema. Levando em consideração aspectos relevantes a respeito dos fósseis de árvores petrificadas, seu processo de fossilização, os tipos de vegetais que foram preservados, como era a vida na Terra há 200 milhões de anos, e onde podem ser encontrados estes exemplares, assim como, leis que os protegem.
No 2º encontro, no dia 24 de outubro de 2007, foi abordada a temática construindo um olhar sobre a madeira petrificada. Este momento procurou, através de uma exposição mais detalhada, elucidar e construir novas considerações acerca da madeira petrificada, tendo como questão elementos que subsidiassem os processos de criação. Realizando uma análise sobre o início de sua vida como árvore até o seu estado atual de pedra, buscando como objetivo apresentar detalhes sobre os fósseis, assim como possibilitar uma reflexão sobre possíveis projetos de design de moda.
O encontro ocorreu em torno de observações nos fósseis na intenção de explorar alguns elementos compositivos como: cores, texturas, formas e linhas, assim como o seu atual contexto. Estas análises levaram a construção da cartela de cores e o seu estudo detalhado dos elementos visuais, que posteriormente acompanhariam os processos criativos, na intenção de proporcionar as participantes uma reeducação do olhar e uma nova forma de observar a madeira petrificada.
Já no 3º encontro, ocorrido em 20 de novembro de 2007, a temática abordou assuntos referentes aos processos para a criação de um croqui. Através do processo de significação sobre a madeira petrificada, resgatar elementos do encontro anterior tendo em vista o início da produção de croquis. O objetivo principal foi, através de variadas maneiras de utilizar e visualizar uma mesma forma, gerar possibilidades para o início dos estudos de design de moda.
Primeiramente, foram apresentadas duas técnicas de estamparia artesanal: o carimbo e o pochoir, que seriam utilizadas para o desenvolvimento de estampas inspiradas na madeira petrificada, e posteriormente o desenho dos croquis, também conhecido como desenho de moda, sendo este um instrumento utilizado como referência dentro do processo de criação dos modelos de roupas e acessórios nesta pesquisa.
No 4º encontro, dia 21 de novembro de 2007, foi trazida a temática criação de módulos para estamparia. Este encontro levou as participantes a oportunidade de desenvolver propostas para estamparia através de módulos, resultando assim em um processo mais amplo e abrangedor das necessidades da criação de uma peça dentro do design de moda. O objetivo principal foi a criação de módulos direcionados à construção de projetos para estamparia, com a finalidade de compor os croquis criados pelas colaboradoras.
O 5º encontro, ocorrido dia 27 de novembro de 2007, trouxe como temática criando propostas em estamparia através da linguagem do carimbo. Buscando destacar possíveis finalidades para a utilização dos módulos desenvolvidos, em destaque o carimbo. O objetivo principal foi proporcionar que cada participante compreendesse a essência deste tipo de impressão e adaptasse seus desenhos à linguagem do carimbo.
Já o 6º e o 7º encontro, nos dias 28 de novembro e 04 de dezembro de 2007, abordou a temática confeccionando os carimbos. Nesta oportunidade foi dada seqüência na confecção dos carimbos subsidiados pelos estudos realizados durante os processos criativos. O objetivo foi a produção dos carimbos para a estamparia.
No 8º encontro, dia 05 de dezembro de 2007, foi tratada a temática o carimbo colocado em prática. Buscando a aplicação dos carimbos produzidos em encontros anteriores. Seu principal objetivo foi proporcionar que cada colaboradora realizasse uma descoberta através das diversas possibilidades no ato de carimbar tendo em vista a execução de seus projetos para a estamparia. Através da prática, foram feitos testes no papel, resultando em experiências quanto a possibilidades de cores e estruturas, produzindo com esta ação estudos que posteriormente seriam aplicados nos modelos de roupas e acessórios.
O 9º encontro, ocorrido em 06 de dezembro de 2007, trouxe a temática criando propostas em estamparia através da linguagem do pochoir. Este momento buscou destacar a importância de mais uma técnica de estamparia artesanal: o pochoir. O objetivo foi proporcionar que cada colaboradora compreendesse mais este tipo de impressão e suas possibilidades na aplicação em diversas superfícies, proporcionando a construção de estampas que compusessem os modelos representados nos croquis.
Já no 10º encontro, dia 11 de dezembro de 2007, foi trabalhada a temática unindo carimbo e pochoir na criação de propostas para estamparia. Momento este que proporcionou a utilização duas técnicas de estamparia estudadas anteriormente, como proposta para desenvolver composições que instigassem a criação. O principal objetivo foi proporcionar que cada participante explorasse possíveis formas e soluções, aplicando tanto o carimbo como o pochoir, tendo em vista a possibilidade de produzir variados projetos.
O 11º encontro, ocorrido em 12 de dezembro de 2007, veio com a temática costurando os primeiros retalhos. Dando ênfase para a costura de retalhos na intenção de construir modelos de roupas e acessórios levando em consideração os estudos realizados através dos croquis. O objetivo principal foi confeccionar modelos partindo da utilização dos restos das fábricas e sua possível utilização para geração de renda.
O encontro aconteceu em dois momentos, primeiramente houve uma análise dos tipos de retalhos disponíveis e suas possibilidades, e logo após foi realizada uma seleção do material, adaptando e criando diversas soluções nesta união possível através dos retalhos.
No caso do 12º e 13º encontro, dias 13 e 14 de dezembro de 2007, foi tratada a temática costurando, customizando e estampando. Estes momentos buscaram apresentar a possibilidade da customização usando peças de roupas antigas. O objetivo foi proporcionar que além de confeccionarem suas próprias roupas, as participantes criassem essas soluções através de processos de customização.
Estes encontros se desenvolveram em torno de três momentos, primeiramente foi dada ênfase a importância da customização de roupas, abrindo possibilidades de renovar e criar seus próprios modelos a baixo custo, depois se deu seguimento na confecção das roupas e acessórios partindo da utilização de retalhos e por fim foram aplicadas as técnicas de estamparia desenvolvidas em encontros anteriores.
Já o 14º encontro, em 17 de dezembro de 2007, abordou a temática percebendo a trajetória. Este momento buscou a finalização da confecção das peças de roupas e acessórios. O principal objetivo foi realizar uma reflexão sobre a importância do tema abordado nos encontros e a percepção das trajetórias individuais de cada participante.
Finalizando com o 15º encontro, dia 18 de dezembro de 2007, onde aconteceu o desfile da coleção inspirada na madeira petrificada. Ocorrendo através do desfile, destacando esse novo olhar produzido por essas três participantes sobre a madeira petrificada, trazendo como resultado de seus processos criativos os produtos finalizados. O principal objetivo foi realizar uma mostra desses trabalhos para toda a comunidade, na intenção de divulgar a pesquisa e a existência desses fósseis, despertando a conscientização e necessidade de preservação desses exemplares, assim como mostrar que dentro do contexto existente no bairro Chácara das Flores existe diversas possibilidades de temas para serem explorados.
O encontro aconteceu na forma de um desfile de encerramento onde as crianças, filhas das participantes como já previsto foram as modelos, também houve a entrega de certificados, portfólios e CDs com todas as imagens fotográficas realizadas durante o processo de implementação da pesquisa, comprovando a participação de cada uma neste processo, e finalmente uma confraternização coletiva juntamente com a direção da escola, funcionários e convidados.

 
 

5.  Colcha de Retalhos

5.1. Revendo o caminho percorrido...

Ao rever a trajetória percorrida, refletindo as possibilidades contidas nesta prática, busco através de uma análise verificar os caminhos traçados e as construções coletivas conquistadas. Penso ser este mais um passo neste percurso e não o fim de um caminho, pois é o momento de reflexão que ultrapassa os limites da pesquisa, e é capaz de chegar adiante, projetando novas possibilidades e novos olhares sobre uma mesma realidade.
Nesta investigação teórica que objetivou uma prática educativa no ensino não-formal, tendo como referência os fósseis de árvores petrificadas no desenvolvimento de processos criativos em design de moda, buscou-se, através da valorização do patrimônio histórico situado na cidade de Santa Maria (RS), referências formais e visuais que subsidiassem possibilidades educacionais.
Percebemos que a realização de uma prática educativa na área do design de moda, tendo como subsídio os fósseis localizados no sítio paleontológico do bairro Chácara das Flores, despertou a atenção da comunidade para este importante patrimônio natural. Sua divulgação através dos trabalhos realizados pelas três colaboradoras da pesquisa trouxe um novo aporte para as pessoas no que diz respeito a sua valorização e preservação.
As referências visuais analisadas nas madeiras petrificadas apóiam-se em uma abordagem que englobam fatores que contribuam no objetivo da pesquisa, neste caso, estas características foram uma avaliação formal, de texturas, de busca por cores, assim como as memórias das participantes quanto a observação dos fósseis. Neste período, que incidiram estes momentos na pesquisa, foram realizadas construções de processos criativos através de projetos de design de moda, considerando alguns aspectos relevantes à pesquisa dos fósseis como sua idade aproximada, seu processo de fossilização, tipos de vegetais, leis de proteção, assim como as descobertas científicas em torno do tema.
Também é importante ressaltar uma atual preocupação ambiental, dentro deste pensamento a reutilização de materiais muitas vezes considerados sobras, foi um dos fatores divulgados por esta pesquisa. Esta reciclagem aconteceu através do uso de retalhos para a confecção das peças de roupas criadas pelas colaboradoras. O emprego destes pedaços de pano que diariamente são jogados ao lixo, não como uma forma de desperdício das empresas, mas no sentido de falta de utilidade para estas confecções, foi proposto na intenção de que houvesse uma reutilização destas sobras, sendo estas, matérias primas ricas em suas formas, cores e texturas.
No decorrer desta pesquisa, desenvolvida em um espaço cedido pela Escola Municipal Chácara das Flores, houve um momento onde foi repensado o significado desta prática. Sabemos que existem livros, artigos, relatos e histórias sobre educação não-formal. Mas de fato o que é, o que acontece, quem são esses indivíduos e esses lugares? São respostas que só existem no momento que pessoas ou entidades tornem reais estes ambientes, espaços que propiciem uma oportunidade de aprendizado extracurricular.
Ao desenvolver a pesquisa com um grupo de mulheres, que tem suas famílias, filhos, casas e problemas rotineiros, também foi possível perceber um pouco de suas intenções ao freqüentarem os encontros, primeiramente relacionando-se com a temática em questão, ou seja, contendo assuntos de comum interesse. Em seguida pela oportunidade de fazer novas amizades ou mesmo fortalecer os laços com pessoas conhecidas, para então ter a possibilidade de realizar alguma atividade fora de casa e também aprender algo novo.
Durante estes processos que envolveram o desenvolvimento das etapas da pesquisa, alguns caminhos foram traçados levando em consideração o fato de lidar com pessoas, comportamentos, personalidades, realidades e mundos que diferem uns dos outros, tornando as situações um pouco mais delicadas, exigindo avaliações constantes, percebendo as conquistas que se revelavam e planejando para que simplesmente não houvesse uma invasão por parte da pesquisadora no contexto das colaboradoras.
Também deve ser pontuado nesta prática educativa, o tempo de aprendizado das participantes, ou seja, o tempo que cada uma delas levou a compreender e acompanhar as propostas sugeridas nos encontros. Os planejamentos que incidiram os momentos da pesquisa, previamente elaborados, foram constantemente sendo reavaliados e adaptados, na intenção de encontrar consonâncias com a realidade em questão.
O espaço utilizado para a realização dos encontros, esteve durante todos os momentos com suas portas abertas a comunidade, crescendo através das colaborações e atributos que eram constantemente recebidos. Resultante destas relações, relato o contato entre pesquisadora e colaboradoras, que se estendeu mesmo após o termino dos quinze encontros.
De acordo com alguns diálogos com as participantes, neste período pós-pesquisa, perguntei a elas se haviam observado alguma mudança em relação aos hábitos dos moradores do bairro Chácara das Flores quanto à preservação dos fósseis. Nesta ocasião, uma das participantes afirmou ter percebido um novo comportamento, como a preservação das madeiras petrificadas frente às casas, não deixando mais fragmentos soltos nas calçadas, pois segundo a colaboradora, existia o risco de furto destas pedras.
Esta é uma questão que não pode simplesmente ser ignorada, mas sim debatida de forma aberta, conscientizando a população que esta riqueza fossilífera deve sim ser valorizada, mas estes supostos furtos também devem ser punidos e não simplesmente esquecidos pelo tempo. Tarefa esta, que deve ser trabalhada nas escolas junto com os alunos, para que estes novos personagens sociais divulguem esta conscientização ambiental e assim, cresçam em um lugar mais digno respeitando a natureza e suas formas de manifestação.
Devemos despertar a atenção da comunidade sobre a importância deste tipo de pesquisa, trazendo para mais perto de nossas realidades questões de interesse social, juntamente com a inserção de personagens produtores em nossas comunidades.
Infinitas possibilidades revelaram momentos que foram capazes de desvendar um outro lado destas mulheres. Pessoas que diariamente batalham por seus direitos buscando um espaço dentro de uma sociedade mais justa, que, no entanto, muitas vezes as colocam exclusas de oportunidades. Neste caminho, houve muitas pedras, pedras que muitas vezes demonstravam-se firmes e fortes, entretanto, percebemos que estas eram somente algumas irregularidades em nosso percurso, o que não nos impediram de abrir novos caminhos e traçar um objetivo marcado pela descoberta de soluções e a conseqüente valorização de um patrimônio humanitário e histórico.

 

Referências Bibliográficas

BELTRÃO, Romeu. Paleontologia de Santa Maria e São Pedro do Sul, Rio
Grande do Sul, Brasil. Boletim do Instituto de Ciências Naturais da Universidade de Santa Maria, nº2, 1965.
FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.
_____. Educação e mudança. 13. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.
_____. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.
_____. Professora Sim, Tia Não – Cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Olho d’Água, 1993.
_____. Pedagogia da Autonomia: Saberes Necessários à Prática Educativa. São Paulo: Paz e Terra S/A, 1996.
GADOTTI, Moacir; GUTIÉRREZ, Francisco (orgs.). Educação comunitária e economia popular. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2001.
GADOTTI, Moacir. História das idéias pedagógicas. São Paulo: Ática, 1997.
_____. Perspectivas atuais da educação. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.
GOHN, Maria da Glória. Educação não-formal e cultura política: impactos sobre o associativismo do terceiro setor. São Paulo: Cortez, 1999.
_____. Teoria dos movimentos sociais: paradigmas clássicos e contemporâneos. 4. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2004.
INTERNATION WORKSHOP – WORLD UNIVERSITY SERVICE (WUS) “Education for All: A Challenge for Democracy and Human Rights”. GADOTTI, Moacir.
Significado e desafio da educação básica. New Delhi: Índia, 1991. Disponível em: <http://www.paulofreire.org/Moacir_Gadotti/Artigos/>. Acesso em: 10 de março de 2007.
LIPOVETSKY, Gilles. O império do efêmero: a moda e seus destinos na sociedade moderna. 9. ed. São Paulo: Cia. das Letras, 2006.
LÖBACH, Bernd. Design Industrial: Bases para a configuração dos produtos industriais. 1. ed. São Paulo: Editora Edgard Blücher Ltda, 2001.
MALFATTI, Selvino Antonio; AGOSTINI, Lenir Cassel. Mata: ontem madeira, hoje pedra. Santa Maria: Centro Universitário Franciscano, 2006.
MOUTINHO, Maria Rita; VALENÇA, Máslova Teixeira. A Moda no século XX. Rio de Janeiro: Ed. Senac Nacional, 2000.
MUNARI, Bruno. A Arte como ofício. 3. ed. Lisboa: Editorial Presença, 1987.
_____. Artista e design. 3. ed. Lisboa: Editorial Presença, 1990.
REDIG, Joaquim. O Sentido do Design ou Desenho Industrial ou Desenho de Produto e Programação Visual. Rio de Janeiro: ESDI, 1983.
SOMMER, Margot Guerra; SCHERER, Claiton M. S. Sítios Paleobotânicos do Arenito Mata nos Municípios de Mata e São Pedro do Sul, RS. In: Schobbenhaus, C.; Campos, D.A.; Queiroz, E.T.; Winge, M.; Berbert-Born, M. (Edit.) Sítios Paleontológicos do Brasil, 1999. Disponível em: <http://www.unb.br/ig/sigep/sitio009/sitio009.htm>. Acesso em: 20 de outubro de 2006.
Reference According to APA Style, 5th edition:
Debus, C. ; (2011) Design de Moda e Educação Não-Formal: Os Fósseis de Árvores Petrificadas como Referência para Processos Criativos. Convergências - Revista de Investigação e Ensino das Artes , VOL IV (7) Retrieved from journal URL: http://convergencias.ipcb.pt