João P. Janeiro

Intérprete de instrumentos de tecla históricos, divide a sua atividade profissional entre a investigação, concertos, gravações e a docência. Fez a sua formação em Lisboa, onde completou os estudos em cravo, órgão, clavicórdio e musicologia histórica.

Dirige os agrupamentos Flores de Mvsica, Capella Joanina e Concerto Ibérico – Orquestra Barroca, com os quais tem difundido ativamente património musical de Portugal. Colaborou com grandes orquestras portuguesas e estrangeiras  em concertos e gravações. Gravou diversos CD em órgãos e instrumentos de tecla históricos do Museu da Música de Lisboa. Gravou vários CD e programas dedicados à música portuguesa para a rádio e canais de televisão.

Participou em vários festivais de música internacionais entre os quais: Rasegna di Musica Antica di Santa Cecilia (Roma), Deutsches Museum Konzerten (Munique), Festival de Órgão da Madeira, West Coast Early Music Festival (Oeiras), Festival Internacional do Algarve, Festival Internacional de Música da Madeira, Festa da Música (CCB), Festival de Música Antigua de Úbeda e Baeza, Ciclo de Música Antiga Universidad de Salamanca, Rassegna di Musica Antica Università Basilicata, Festivale de Música Antigua de Cáceres, Musica Antica al Conservatorio di Frosinone, Casa da Música, Encontros de Música Antiga de Loulé, Musica Antica a Magnano.

Responsável pelas edições críticas das Sonatas e Duetos de João Baptista Avondano e pelo projeto editorial das obras completas de Francisco António de Almeida na MAACedita, no âmbito do qual concluiu as partituras e os CD da Grande Missa em Fá e do Te Deum, bem como do Matuttino de’ Morti de David Perez, da Música de Câmara de Pedro António Avondano e do repertório português para cravo e flauta do Maneirismo ao Barroco Tardio.

Prepara as edições críticas da primeira ópera portuguesa, La Pazienza di Socrate e da abertura das vésperas Domine ad Adjuvandum me Festina, para solistas coro e orquestra.

Concebeu os projetos e dirige os festivais ‘West Coast Early Music Festival’, Ciclo de Teclas Fim da Tarde’, ‘Série Ibérica de Música Antiga’ e ‘Jornadas de Órgão do Alentejo’. Realizou o Inventário de Órgãos Históricos do Alentejo para a Direção Regional da Cultura e orientou processos de restauro naquela região. Concebeu e dirige os CIMA e os Concursos Internacionais de Jovens Intérpretes de Música Antiga.

Leciona  cravo, música de câmara e baixo contínuo e as classes de interpretação histórica na ESART-IPCB e órgão na EMNSC. Tem realizado diversas atividades pedagógicas e concertos em Itália e dirigido masterclasses de cravo, baixo contínuo e orquestra barroca.

É presidente da MAAC, membro fundador do CESEM (FCSH-UNL) e da Sociedade Portuguesa de Investigação em Música (SPIM). Tem apresentado comunicações e publicado artigos na área da organologia e música barroca portuguesa.

Author's articles